Imagem de Patricia Cuyate em sua fala.
Instituto Sustentabilidade sedia evento que debate ações para América Latina e Caribe"
A + A -

Durante três dias, de 10 a 12 deste mês, o Instituto Sustentabilidade recebeu um grupo de referentes em educação e teologia, ou seja, pessoas que possuem uma presença marcante e de destaque em suas comunidades e redes de atuação para participarem do II Seminário de Educadoras/es e Teólogas/os. “É o momento de unir aprendizados, além da possibilidade de mobilizar estruturas e redes na AL”, destacou Gustavo Driau, coordenador regional do Programa Sustentabilidade América Latina e Caribe da FLM. Ele destacou a ideia da rede ao dizer que o encontro “faz parte de uma espiral que nos faz conectar com as experiências dos grupos e projetos das instituições”. Débora Conrad, Secretária de Formação da IECLB/InS, destacou o apoio da IECLB. “É urgente valorizar o debate fundamental a respeito da ideia de sustentabilidade nas igrejas cristãs”, disse ela. Miltom de Oliveira da IECLB/InS resgatou em sua fala de abertura a necessidade de reflexão sobre o processo de aprendizado e os desafios da sustentabilidade das igrejas na América Latina. 

A abertura foi feita pela Rev. Dra. Patricia Cuyatti, secretária para América Latina e Caribe da Federação Luterana Mundial Departamento para Missão e Desenvolvimento, que ressaltou a necessidade de pensar juntos o que é pedagogia e gênero. “Cada um de nós ensina formal e informalmente, considerando a aprendizagem do cotidiano. Por isso precisamos refletir sobre ideias de pedagogia: ensinamento, sabedoria, processo de aprendizagem, relações, arte de ensinar, provocar a aprendizagem, diálogo, intercâmbio de saberes”, destacou. Ainda no primeiro dia de evento, Wanda Deifelt falou sobre a Teologia da cruz, com o tema “Da Cruz à Árvore da Vida”, onde refletiu sobre o dualismo que permeia as relações humanas. E Anete Roese focou no tema “Oficina de Bibliodrama: gênero e pedagogias”. Blibiodrama é um processo de interpretação de textos sagrados, literários, orais, da vida cotidiana, relacionais e existência em que o acento não está no resultado, mas no processo, na caminhada. “Promove e acolhe a dimensão espiritual e trabalha com a corporeidade e a criatividade humana”, ressaltou a palestrante.

No dia seguinte, a Profa. Dra. Elaine Neuenfeldt falou sobre gêneros e pedagogias a partir das “Hermenêuticas bíblicas feministas”, mostrando como as histórias orais das origens dão sentido à comunidade. “Como nossas aproximações ao texto sagrado ajudam ou atrapalham para nossas práticas de sustentabilidade”, questionou no início de sua apresentação. A Profa. Ma. Marcia Blasi e o Prof. Dr. André Musskopf falaram sobre o tema “Epistemologia Feminista – Sobre maçãs, mandalas e linhas” em nome da Rede de Mulheres e Justiça de Gênero das Igrejas Luteranas da América Latina e Caribe. A Profa. Dra. Laude Brandenburg apresentou o Planejamento Político Pedagógico (PPP) e a Política de Gênero da Faculdades EST, enfatizando o fato de que é necessário assumir institucionalmente, e não apenas pelo núcleo de gênero, essas políticas. “Precisa ser algo incorporado às políticas pedagógicas de qualquer instituição de ensino”, destacou. Rita Flores Ramos falou sobre o ensino da língua Aymara e Scheila Dillenburg apresentou um  estudo de caso sobre o Curso de Qualificação Funcional em Liderança Comunitária Sustentável com o tema "Questões de gênero na vida comunitária".

O último dia foi dedicado a reflexões e trabalhos em grupo entre os participantes. Além da apresentação das conclusões do encontro e das questões de gênero e pedagogia trabalhadas pelo InS.

Segundo a Rev. Dra. Patricia Cuyatti, foram três dias de trabalho muito intensos, pois focamos no objetivo de vincular esses três elementos: pedagogia, gêneros e a sustentabilidade das igrejas. “Decidimos identificar os temas de gêneros porque é importante percebemos que as relações de poder não são um acidente, mas elas provêm das relações da democracia”, disse ela, ao enfatizar que é importante perceber os talentos das pessoas e saber usá-los de maneira efetiva. Saber utilizar as ferramentas e as linguagens de forma adequada para valorizar a espiritualidade. “O InS é muito importante pois, está vinculado a uma instituição de ensino, a Faculdades EST, o que demonstra sua importância para o Brasil, mas, principalmente, para todas as igrejas da América Latina e Caribe”, disse Patricia, ao enfatizar o protagonismo do Instituto Sustentabilidade na divulgação e promoção do conhecimento e de reflexões sobre o ensino na atualidade.

Por: Equipe operacional - Imprimir