Grupo reunido.
Seminário na Faculdades EST visibiliza ações em prol das Igrejas"
A + A -

Durante dois dias, o Instituto Sustentabilidade realizou o Seminário Reflexão teológica a partir da Sustentabilidade das Igrejas, na Casa Matriz, no campus da Faculdades EST. Cerca de 30 pessoas de diversos países da América e Europa, como Brasil, Argentina, México, Colômbia, El Salvador, Estados Unidos, Suíça e Suécia participaram do evento. O seminário serve para pautar temas mobilizadores de novas discussões. “O encontro de teólogos e educadores foi muito bom”, disse Miltom de Oliveira da IECLB/InS. Segundo ele, o InS é a coroação das ações do Programa Sustentabilidade. “Desde 2007, sentíamos a falta de uma entidade onde pudéssemos tratar da formação das lideranças, referentes, ministros/as nessa parte da gestão e planejamento. A proposta do Programa, e que o InS assimila, é que buscamos um novo modo de ser Igreja, segundo o pilar de formação dos dons das pessoas e da busca de recursos financeiros e materiais, tudo isso estruturado num planejamento estratégico participativo. O nome pode variar, planejamento missionário participativo, planejamento comunitário participativo, não importa. O que importa é que seja participativo. A proposta é que o planejamento coordene e encaminhe o que é necessário numa comunidade, num Sínodo, numa Igreja”, ressaltou.

Para o argentino Alan Eldrid, da Igreja Evangélica Luterana Unida da Argentina e do Uruguai (IELU), o enfoque do evento enfatiza uma conversação ampla sobre a temática sustentabilidade. “Se reuniram pessoas com formação diversa, desde formação técnica até formação teológica. Isso é importante porque há diferentes olhares sobre a questão da sustentabilidade dentro de diferentes disciplinas. O evento em si marca essa busca por uma mesa comum de conversação”, disse ele. “Por um lado temos que lidar com a própria história e com a própria reflexão teológica e axiológica. É preciso se entender dentro desse processo de descolonização. A sustentabilidade tem a ver com sustento econômico, tem a ver com uma redefinição do ser Igreja, hoje. O InS permite esse espaço de convocatória, de forma sistematizada e processual”, acrescentou Alan, que define essa importância a partir desses encontros entre pessoas que estão dispostas a fazer crescer o debate sobre o tema da sustentabilidade.

A Revda. Vilma Rodriguez, coordenadora de Educação Teológica e Pastoral do Sínodo Luterano de El Salvador (ILS), disse que é preciso mudar padrões culturais e o modo de ser Igreja. “Mas é possível ser uma Igreja sustentável. O mais importante na sustentabilidade é que ele dignifica as Igrejas”, disse Vilma. O maior desafio do InS, segundo ela, é fazer as igrejas sustentáveis. “Porque somos Igrejas que necessitam de apoio, sobretudo financeiro, principalmente na América Central, que são muito pobres. São empobrecidos, porque levaram suas riquezas. Então, necessitamos de apoio financeiro, mas necessitamos também que as pessoas percebam que podem ser atores nesses processos. É preciso que aconteça um empoderamento dessas comunidades para que elas sejam protagonistas também nas mudanças”, ressaltou Vilma.  

“O aspecto teológico sempre aparece nesse contexto e por isso estamos aqui. É importante pensarmos sobre o tipo de igreja que está surgindo a partir desses planejamentos”, disse o argentino Gustavo Driau, membro da FLM.

Para Débora Conrad, Secretária de Formação da IECLB/InS, o seminário foi importante para fazer uma sistematização das experiências e também indicar temas de estudo para o próprio Instituto se ocupar.

Miltom destaca seu entusiasmo com o Programa que desembocou no InS, instituído em outubro de 2013, instituído por três entidades, a FLM, a IECLB e com base na Faculdades EST, um centro de formação de excelência. A equipe de coordenação do Instituto Sustentabilidade, formada pelo Prof. Dr. Valério Schaper, da Faculdades EST; Ms. Gustavo Driau, Programa Sustentabilidade/FLM; Cat. Ma. Débora Conrad, Secretária de Formação da IECLB/InS; e Miltom de Oliveira, da IECLB/InS, se reúne regularmente ao longo do ano. Pelo menos quatro encontros presenciais são realizados, além das reuniões semanais via skype. Isso acontece para manter a unicidade e a interação entre a equipe, apesar da distância física. “Os primeiros movimentos estão acontecendo. Agora, por encomenda da IECLB, lançamos o primeiro curso à distância (EaD), com inscrições já abertas e início previsto para final de março. Trata-se de um curso de qualificação funcional para lideranças, presbíteros, conselheiros/as. É um desafio que o InS já se coloca. E outros desafios virão, nosso planejamento para 2015 devem indicar outros caminhos”, destacou Miltom.

Por: Mariana Bastian Tramontini - 14/11/2014 Imprimir